segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Mudanças no Seguro Desemprego foram planejadas antes da eleição

Novas regras do seguro desemprego tornam
mais rígidos o recebimento do benefício
As mudanças na concessão de benefícios trabalhistas, como o Seguro Desemprego, já davam o que falar antes de terem sido anunciadas. Ainda durante a campanha eleitoral para presidência da república, a defesa dos direitos trabalhistas era bandeira da campanha para reeleição de Dilma Rousseff, que chegou a citar que não mexeria nos direitos dos trabalhadores "nem que a vaca tussa". Já no mês de dezembro, logo após as eleições, o ministro da casa civil, Aloizio Mercadante, anunciou as medidas que alteram regras do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e da Previdência Social, aumentando o rigor para a concessão do abono salarial, do seguro-desemprego, do seguro-defeso dos pescadores artesanais, a pensão por morte e o auxílio-doença. O objetivo, segundo ele, economizar R$ 18 bilhões ao ano a partir de 2015. Segundo o jornal Folha de São Paulo, um integrante do governo teria afirmado que as novas regras foram definidas em 2014, antes mesmo das eleições. "Em agosto, o governo reduziu em R$ 8,8 bilhões a previsão do gasto com o abono salarial para este ano. A revisão consta do PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual) de 2015, enviado naquele mês pelo Planalto ao Congresso", cita o jornal. De acordo com a publicação, o integrante disse que os cálculos para a redução dos gastos foi feita com base nas regras que foram anunciadas após o resultado das eleições. De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, as alterações devem diminuir o acesso ao benefício em 26,58% dos trabalhadores, levando em conta a base de dados do benefício em 2014.No ano passado, 8.553.733 trabalhadores requereram o Seguro Desemprego com base nas regras antigas. Se as novas regras fossem aplicadas neste mesmo universo de pessoas, o que se configura um cenário real de requisição do benefício, já que nem todos os trabalhadores que se desligam dos empregos recorrem ao Seguro, 2.273.607, ou seja, 26,58% das pessoas não receberiam o benefício. 

Energia alternativa terá verba

Parques de Usina Eólica tem a preferencia no investimento por parte do
governo federal neste momento de crise energética no Brasil
Em tempos de restrição de recursos a diversos setores, o BNDES diz que não faltará dinheiro para financiar projetos de energia alternativas, como eólica e solar, e que manterá, ao menos, o mesmo nível de financiamento de 2014.
A decisão ocorre ao mesmo tempo em que o país vive uma crise do setor elétrico, com o baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas.
No ano passado, foram aprovados R$ 6,6 bilhões para projetos de geração eólica - 81% mais do que em 2013 (R$ 3,6 bilhões). O objetivo é repetir o número neste ano.
"Não vão faltar recursos para empreendimentos de energias alternativas, apesar das mudanças das políticas operacionais do banco", disse Ana Raquel Paiva, chefe do Departamento de Energias Alternativas do BNDES.
A regra vale para investimentos em energia solar, biomassa (a maioria dos projetos usa bagaço de cana-de-açúcar) e eólica.
Os empréstimos, porém, vão ficar mais caros, assim como as demais linhas de crédito do banco, com as mudanças das políticas de financiamentos.
Nos projetos que forem incluídos nos próximos leilões de energia do governo, o custo subirá para TJLP (Taxa de Juro de Longo Prazo, usada apenas pelo BNDES) - que passou de 5% para 5,5% ao ano -, mais 1,2% ao ano. A esses percentuais soma-se ainda uma taxa de risco de crédito, que varia de acordo com cada cliente. Para os empreendimentos já leiloados, valem as condições antigas: TJLP de 5%, acrescida de 0,9% de remuneração do BNDES e taxa de risco. As condições foram mantidas mesmo para os contratos que não foram assinados - inclusive os do primeiro leilão de energia solar, de 2014.
Equipamento desligado
Apontado pelo ministro Eduardo Braga (Minas e Energia) como um dos principais motivos para o apagão da última segunda-feira (19) - que deixou áreas de 11 Estados e o Distrito Federal às escuras -, o banco de capacitores da linha Norte e Sul, administrada por Furnas, está em manutenção há mais de um mês.
O equipamento foi citado pelo ministro como um dos motivos que poderiam ter colaborado para a variação na frequência, que desencadeou em desligamentos automáticos e orientados de usinas e distribuidoras pelo país, inclusive da usina nuclear Angra 1. O banco de capacitores em questão fica em uma subestação localizada em Gurupi, no Tocantins.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

CR7 é o melhor de 2014 e manda recado pro Messi

O craque português Cristiano Ronaldo conquistou pela terceira vez a Bola de Ouro da Fifa, superando  o argentino Lionel Messi e o goleiro alemão Manuel Neuer. O atacante do Real Madrid mostrou toda a sua alegria com a conquista ao dar um grito durante a premiação. A comemoração inusitada caiu nas redes sociais tornando-se um grande candidato a meme do ano. Click no link e veja o vídeo!
CR7 é o melhor jogador de futebol de 2014

Mercedes convoca recall de GLK e Sprinter por problema que pode causar incêndio

Proprietários do utilitário da Mercedes modelo GLK 220 CDI
2014, devem procurar a revendedora para fazer recal.
A Mercedes-Benz anunciou nesta segunda-feira, 12, um recall do Sprinter e dos utilitários esportivos GLK.
Em nota, a montadora afirma que detectou um defeito na arruela de vedação de um tensionador hidráulico, que pode ocasionar vazamento de óleo, que em caso de contato com as partes quentes do motor, pode gerar princípios de incêndio. A solução é a troca da arruela de vedação. 
Estão envolvidos na convocação Sprinter Chassi e Furgão 311 CDI, 415 CDI e 515 CDI, e Sprinter Van de Passageiros 415 CDI e 515 CDI, fabricados entre junho de 2014 e novembro de 2014  (chassis de 8AC906633EE093682 a 8AC9066655E106099).
á no caso do esportivo GLK, foi incluído no chamado o modelo 220 CDI, produzido de março a julho de 2014, com chassis não sequenciais de WDCGG8EWXEG317248 a WDCGG8EW3FG363800.
Proprietários dos modelos citados podem obter mais informações do recall pelo telefone 0800 970 9090 e pelo site oficial da Mercedes.  
com O Povo

Estimativa para a inflação em 2015 volta a subir

Investidores a analistas do Mercado Financeiro projetam índice
de inflação para 2015 em 6,6% acima da meta do IPCA. 
A projeção de inflação para 2015 medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 6,56% para 6,6%. A estimativa segue acima do teto da meta, que é 6,5%. A estimativa foi realizada pelos investidores e os analistas do mercado financeiro. Os dados são do boletim Focus, divulgado hoje (12) pelo Banco Central (BC). A autoridade monetária se comprometeu a fazer a inflação chegar ao centro da meta, de 4,5%, em 2016. Na sexta-feira,9, o presidente do BC, Alexandre Tombini, reafirmou o compromisso ao comentar o IPCA de 2014, que fechou em 6,41%.O boletim Focus da última semana também reduziu pela segunda vez a projeção do crescimento da economia para 2015, de 0,5% para 0,4%. A estimativa para os preços administrados, que sofrem algum tipo de influência do governo, teve alta pela quinta semana, passando de 7,85% para 8%.Com relação à taxa básica de juros, a Selic, a previsão para 2015 permanece em 12,5% ao ano. A projeção de câmbio também foi mantida, em R$ 2,80.A estimativa da dívida líquida do setor público passou de 37,3% para 37,25% em relação ao Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país). A projeção do déficit em conta-corrente, que mede a qualidade das contas externas, passou de US$ 77 bilhões a US$ 77,4 bilhões.O saldo da balança comercial continuou em US$ 5 bilhões. Os investimentos estrangeiros foram estimados em US$ 60 bilhões. A  previsão de crescimento da produção industrial ficou em 1,02%.O Focus é uma pesquisa semanal do Banco Central feita no mercado. As estimativas divulgadas nesta segunda-feira são avaliações feitas por instituições financeiras na semana passada.
com O Povo

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

'Petrobras pode ser vergonha nacional para País'

Sede da Petrobrás no Rio de Janeiro - Empresa é protagonista
dos maiores escândalos de corrupção a nível internacional.
O jornal britânico Financial Times publica na edição impressa de ontem (30) uma ampla reportagem sobre a crise na maior estatal brasileira, a Petrobras. Para a publicação, o suposto esquema de corrupção na petroleira transformou a companhia que já foi "orgulho do Brasil" em motivo de "vergonha nacional". O texto do jornal britânico destaca ainda a hipótese de a empresa entrar em "calote técnico" pelos atrasos na divulgação dos resultados financeiros.
"A Petrobras, que em 2007 era o orgulho do Brasil após anunciar as maiores descobertas de petróleo offshore do mundo em décadas, hoje corre o risco de se tornar um pária entre os investidores e uma vergonha nacional para os brasileiros", diz o texto do FT, ao lembrar das denúncias de corrupção que envolvem diretores da empresa e grandes empreiteiras. A reportagem lembra ainda que Maria das Graças Foster, que comanda a companhia desde 2012, já teria oferecido o cargo à presidente Dilma Rousseff.
Calote técnico
O FT também lembra que, diante do caso, a empresa tem atrasado a divulgação de números e isso poderia acarretar situação de "calote técnico". "Se a Petrobras não for capaz de divulgar os resultados financeiros auditados até 30 de abril, a empresa, que é uma dos maiores tomadores de empréstimos corporativos do Brasil com dívida estimada pela agência Moody's em US$ 170 bilhões, poderia desencadear um default técnico", diz.
O default técnico aconteceria porque a estatal não consegue cumprir uma das cláusulas previstas na emissão dos títulos de dívida que é a divulgação de dados financeiros conforme calendário predeterminado. O fundo de hedge Aurelius, que esteve nos holofotes do calote técnico da dívida soberana argentina, lançou campanha para notificar a estatal pelo descumprimento da cláusula que previa divulgação do demonstrativo financeiro não auditado do terceiro trimestre 90 dias após 30 de setembro.

Novo mínimo de R$ 788 passa a ser pago a partir desta quinta

Novo salario mínimo para 2015 é de C$ 788,00 e o salário máximo
é de R$ 33.800,00 válidos a partir de hoje.
A partir desta quinta, 1, o valor do salário mínimo pago aos trabalhadores brasileiros é R$ 788. Com o reajuste, o mínimo vale R$ 26,27 por dia, e R$ 3,58 por hora de trabalho. O reajuste foi 8,8% em relação aos R$ 724 pagos no ano passado.
 O mínimo é calculado a partir de uma fórmula que leva em conta a inflação do ano anterior e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. O aumento chega a cerca de 48 milhões de pessoas que têm renda vinculada ao piso nacional, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.
 As principais autoridades do país também tiveram o salário reajustado com a chegada de 2015. O salário da presidenta Dilma Rousseff e do vice-presidente, Michel Temer, passa de R$ 26,7 para R$ 30,9 mil. O de deputados e senadores, de R$ 26,7 para R$ 33,8 mil.
Agencia Estado

Sefaz-Ceará libera consulta a valores do IPVA 2015

IPVA 2015 no Ceará terá redução média de 10,798% e varia
por faixa de veiculo. Pagamento pode ser parcelado até 3x.
Começou nesta quinta-feira (1º) no Ceará a consulta do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), no site da Secretaria da Fazenda. Os boletos devem chegar às residências dos contribuintes ainda neste mês.
O IPVA no Ceará vai ter redução média de 10,78 em 2015 em relação a 2014, segundo o titular da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará (Sefaz-CE), João Marcos Maia. As alíquotas do imposto continuam as mesmas de 2013 e variam de 1% a 2,5%, conforme o tipo de veículo.
Segundo João Marcos Maia, o tributo incide sobre 1.990.863 veículos, e a secretaria espera arrecadar R$ 661,8 milhões. Aumento de 12,17% em relação a este ano. A frota em 2014 teve acréscimo de 153.569 mil veículos.
"Esse crescimento no número de veículos novos aumentará a arrecadação em R$ 71,6 milhões", explica. Segundo o secretário, o índice de inadimplência do IPVA é baixo, apenas 7%, o que representa redução de R$ 69,9 milhões, em 2015.
DescontosIPVA poderá ser pago em até quatro parcelas, desde que cada parcela não seja inferior a R$ 50. A primeira parcela vence em 13 de fevereiro; e as seguintes no dia 13 de cada mês. Quem pagar à vista até 30 de janeiro terá 5% de desconto no valor do imposto.
Segundo João Marcos Maia, diferentemente dos anos anteriores, somente 687 mil contribuintes terão acesso ao papel em casa. Os contribuintes que pegaram o boleto pela internet nos anos anteriores, não receberam os papéis em casa neste ano.

Portal G1