Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Energia eólica do Brasil

Ceará lidera o potencial energético com os principais parques
eólicos do Brasil, como o da Prainha em Aquiraz,Ce. (foto)
O contexto dos debates acadêmico e econômico apontam a fonte eólica como modelo de geração de desenvolvimento sustentável no mundo atual e no Brasil. Além disso, converge com as necessidades de demandas brasileiras, compondo a matriz energética nacional.Atualmente a fonte eólica participa em 2,41% da matriz energética brasileira, o que corresponde a uma capacidade instalada de 3,0044GW, operando no momento com 124 parques (3.004,4 MW), aptos 37 parques (962,7 MW), em construção e em teste, 96 parques (2.591,1 MW) e contratados são 300 parques (7.257,9 MW), que são projetos eólicos contemplados nos últimos leilões de energia.Ao considerarmos os 93,73% em oferta média de energia eólica nos leilões realizados, podemos confirmar a tendência da virada energética brasileira com a fonte eólica, quando da constatação de que os contratos eólicos vencem em até 100% dos certames. Agrega-se a esse dado, o histórico dos leilões de energia que, em 2013, somou compra de 4,7 GW eólicos, onde 60,5% foram de fonte eólica contratados com aportes de R$ 21,2 bilhões em investimentos. Soma-se ao cenário de prospecções, 2,3GW de energia eólica, comprados no último leilão de energia do ano (A-5) a preço médio de R$ 109,93/MWh.Inquestionavelmente, a projeção da energia eólica, para os próximos 20 anos, é virar a matriz energética brasileira, chegando com participação de 60% nominal e geração, com potenciais de usinas eólicas maiores e com máquinas de potencias entre 4MW a 10 MW. O cenário significativamente positivo para a economia não para por aqui. Dentre as vantagens da matriz energética eólica, está a de ocupar menor área física, enquanto a fonte de energia hídrica deverá ocupar 17% operacional, com reserva energética d’água em 34%,”fio d’água positivo”, ocupando grandes áreas em lagos.E nesse contexto, o estado do Ceará é o pioneiro em energia eólica no Brasil, tanto como objeto/berço/embrião dos primeiros estudos de ventos, iniciados na década de 90 quanto por ter sido em terras/ventos cearenses (Mucuripe), os primeiros parques eólicos instalados: o de Taíba, com 5 MW (1998) e o da Prainha, com 10 MW (1999).Hoje, o Ceará se mantém como o estado brasileiro que mais gera energia eólica com 32 parques eólicos em operação e dispondo da capacidade nominal instalada de 953,2 MW com média comprovada de eficiência em 43% (409,8 MW), 34% do consumo de energia de todo o estado do Ceará, alcançando, eficiência de até 95%, em alguns Parques.Em construção, o Ceará tem 14 parques eólicos somando 337 MW de potencia nominal. Contratados nos leilões de energia o Ceará tem mais 48 projetos de parques eólicos somando 1.088,9 MW. Com essas potências, em operação até 2018 o Ceará terá operando em energia eólica 2.379,12 MW, equivalente a 84,86% do consumo de energia do estado, que, por sua vez, participará dos certames Leilões de Reserva, A-3 e A-5 de 2014 e dos próximos anos, somando potências, cujo aporte financeiro acumulado, até o momento, ultrapassa R$ 10 bilhões em investimento.No setor produtivo industrial eólico, o Ceará também é pioneiro na produção de componentes (pás eólicas, torres) e outros subcomponentes, exercendo pioneirismo em serviços e projetos eólicos.Para além dos fatores apesentados que consolidam o Ceará como gerador de matriz energética, as condições logísticas do Estado para a energia eólica favorecem, tanto pela capacidade técnica e know-how quanto pela localização geográfica dos portos do Mucuripe e Pecém e do sistema rodoviário favorável, marcado pelo encontro e inicio de duas rodovias federais (BR 116 e BR 222), além das CE, com pavimentação e curvas dotadas de ângulos apropriados.Essa infraestrutura logística geográfica dá apoio e escoamento de componentes e subcomponentes entre torres e pás eólicas, para execução de parques eólicos no Ceará e em estados vizinhos. Além disso, ao mesmo tempo em que apoia e dá suporte logístico a outros estados que também produzem energia eólica, o Ceará exporta serviços e mão de obra, além de, também, interligar a energia eólica de outros estados com suas linhas de transmissão e subestações.Diante do exposto, é possível que o leitor questione o cenário apresentado de colaboração do Ceará com os demais estados produtores de energia eólica, indagando: e a concorrência de mercado entre os estados produtores? Considerando tecnicamente o SIN (Sistema Interligado Nacional de Energia Elétrica), no Brasil, nas diversas fontes de geração da energia, não existe concorrência de energia entre estados, nem mesmo na fonte eólica, pois tudo está nominal interligado nacionalmente.Eis a macroestrutura de produção de energia eólica: o Ceará, com 953,2 MW (32 parques eólicos) operando, soma produção energética eólica com a BA: 233,2 MW ( 8 parques eólicos), PB: 13 parques (69 MW), PE: 5 parques (24,8 MW), PI: 1 parque (18 MW), PR: 1 parque (2,5 MW), RJ: 1 parque (28,05 MW), RN: 28 parques (806,8 MW), RS: 21 parques (598 MW), SC: 13 parques (236,4 MW), SE: 1 parque (34,5 MW). Nessa perspectiva, todos os estados somam a cadeia produtiva eólica e energética nacional, com outras fontes renováveis e não renováveis, para dá suporte técnico ao abastecimento energético nacional e aos setores produtivos e socioeconômicos.E para onde vamos? Para visualizar as perspectivas do cenário da produção de energia eólica estadual e nacional, é preciso compreender que, com as novas linhas de transmissão, os parques eólicos que estavam atrasados no Brasil, entraram em operação nos últimos meses e passaram a gerar e injetar energia elétrica com maior potência no SIN.No tocante à matéria física, a virada energética toma aceleração com a fonte eólica no Ceará e no Brasil, com menos emissão de Co² e aumento da capacidade eólica na matriz energética brasileira. Consequentemente, gerando mais energia para todo o território nacional, principalmente, no período seco, época em que as hidroelétricas estão com os reservatórios em baixa carga, produzindo menos. E é, exatamente nesse momento de ameaça energética que a matriz energética brasileira precisa de outra fonte de apoio para atender a demanda, que se insere com a força e o peso dos ventos do Ceará e do Brasil, fazendo gerar mais energia para o País.
Fernando Ximenes
Cientista industrial, presidente da Gram Eollic 

Eike Batista mostra-se tranquilo sobre inquérito

Ex-bilionário Eike Batista (OGX) é investigado pela Policia
Federal por supostos crimes financeiros
Em entrevista ao jornal norte-americano Wall Street Journal,
o empresário Eike Batista, investigado pela polícia federal por supostos crimes financeiros na gestão da petroleira OGX, disse estar tranquilo em relação ao inquérito.
“É excelente que tudo seja esclarecido. Estou muito calmo, deixe que eles investiguem”, afirmou Eike na matéria publicada na edição do última sábado.
Segundo o empresário, ele ainda não havia sido contatado pela Polícia Federal até a tarde da sexta-feira.
Ele também negou as irregularidades apontadas e disse ter informado às autoridades regulatórias todas as ocasiões em que vendeu ações de sua companhia.
No inquérito, o ex-bilionário é investigado por supostas práticas de manipulação de mercado, negociação de ações com informações que não são de conhecimento público (“insider trading”) e lavagem de dinheiro.
da Folha Press

Desoneração da folha de pagamentos dobra em 2014

Governo deixou de arrecadar 3,5 bi em janeiro e
fevereiro por causa da desoneração da folha
Responsável por fazer o governo deixar de arrecadar R$ 13,2 bilhões no ano passado, a desoneração da folha de pagamento está trazendo maiores custos para o Tesouro Nacional em 2014. Nos dois primeiros meses do ano, a renúncia fiscal correspondeu a mais que o dobro do registrado no mesmo período de 2013.
Segundo dados da Receita Federal, o governo deixou de arrecadar R$ 3,59 bilhões em janeiro e fevereiro por causa da desoneração da folha, contra R$ 1,6 bilhão nos mesmos meses do ano passado. A principal responsável pela diferença foi a inclusão de 16 setores da economia que não contavam com o benefício fiscal no início de 2013.
Em julho do ano passado, dez setores da indústria, do comércio e de serviços, além da construção civil, entraram na desoneração. Em janeiro deste ano, cinco segmentos ligados ao transporte e as empresas jornalísticas também passaram a fazer parte do novo sistema de contribuição para a Previdência Social.
O novo regime começou a ser adotado em 2011 para estimular o emprego e evitar demissões nas indústrias de couro e calçados, nas confecções e nas empresas de call center e de tecnologia da informação. Atualmente, 56 segmentos da indústria, do comércio, dos serviços e dos transportes são beneficiados pela desoneração da folha.
Em vez de pagarem 20% da folha de pagamento como contribuição patronal à Previdência Social, os setores beneficiados pela desoneração passaram a pagar 1% ou 2% do faturamento, dependendo da atividade. A mudança beneficia principalmente as empresas intensivas em mão de obra (que dão mais emprego). Como as alíquotas são mais baixas do que os níveis que manteriam a arrecadação da Previdência, a desoneração implica custos para o governo.
De acordo com cálculos do Ministério da Fazenda, a alíquota neutra – que não traria impacto na arrecadação federal – seria 2,2% em média. Para algumas atividades, no entanto, a alíquota neutra chegaria a 4,6% do faturamento. A desoneração da folha não aumenta o déficit da Previdência porque o Tesouro Nacional compensa o INSS com a diferença de arrecadação e assume as despesas do novo regime. Além disso, no caso da indústria, os produtos importados dos segmentos beneficiados tiveram o PIS/Cofins reajustado em um ponto percentual.
Agência Brasil

quarta-feira, 16 de abril de 2014

67 mil turistas deverão visitar o Ceará na Semana Santa

Beira mar de Fortaleza tem a preferencia dos visitantes por concentrar
maior parte da rede hoteleira do estado
O Ceará deve receber 67 mil turistas neste feriado da Semana Santa, que este ano será prolongado por ocorrer junto com o feriado do Dia de Tiradentes, em 21 de abril. A estimativa é da Secretaria de Turismo do Ceará (Setur). Ainda segundo a secretaria, o gasto dos turistas no Ceará devem injetar R$ 120 milhões na economia local.
A renda direta gerada por estes turistas deve ser de R$ 68,3 milhões, o que representa um crescimento de 7,3% em relação à Semana Santa de 2013, quando 62,9 mil turistas vieram ao Ceará.
A taxa de ocupação média dos meios de hospedagem (hotéis, flats, pousadas), da capital cearense é estimada pela Secretaria do Turismo em 82,5%, distribuída em hotéis (83,4%), seguida por flats (80,4%), pousadas (80,0%) e albergues (70,9). Mais da metade dos turistas (36.956) devem permanecer em Fortaleza durante o feriado.
Entre outras cidades, o destino mais procurado deve ser Jericoacoara, com 98,7% de ocupação, seguido por Porto das Dunas (86,9%), Cumbuco (84,3%), Canoa Quebrada (82,4%), Praia das Fontes/Morro Branco (78,3%) e Camocim com 88,0%. Fora do litoral, o destino com taxa de ocupação mais alta será Guaramiranga e demais municípios do Maciço de Baturité, com 92,5%.
A estimativa da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), divulgada na semana passada, é de que o Ceará tenha 98% dos leitos de hotéis ocupados neste feriado de Semana Santa. Durante a Semana Santa de 2013, 70% dos quartos estavam ocupados nos hotéis de Fortaleza. De acordo com a ABIH, o feriado prolongado e a projeção que Fortaleza recebe como cidade-sede da Copa do Mundo ajudaram a elevar a taxa de ocupação no período.

Presidente do Tribunal de Justiça assume o governo do Ceará

Presidente do TJ/Ce assume substituirá o governador Cid
Gomes que pediu licença por 10 dias.

Pelos próximos dez dias, entre 15 e 25 de abril, o presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE), desembargador Luiz Gerardo Pontes Brígido, vai assumir o posto de governador do Ceará. A solenidade de posse ocorreu no início da noite desta terça-feira, 15, no Gabinete da Presidência no Palácio da Justiça, no Cambeba.
Segundo a assessoria do governador Cid Gomes (Pros), o chefe do executivo estadual vai tirar licença de dez dias para tratar de assuntos particulares. O vice-governador, Domingos Filho (Pros), e o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Zezinho Albuquerque (Pros), que deveriam, na ordem, assumir o governo na ausência do gestor, optaram por não governar o Estado para que não sejam impedidos de participar do processo eleitoral de outubro deste ano.
No ato da posse, o governador interino, Gerardo Brígido, disse que tem “perfeita consciência do que seja uma interinidade. Por isso essa minha investidura não me assoberba”. A presidência do TJ-CE ficará a cargo do vice, o desembargador Francisco Lincoln Araújo e Silva. 

Reajuste de 16,55% na conta de luz dos cearenses

Reajuste concedidos pele Aneel favorecem segmentos diferentes
A conta de luz para o consumidor residencial vai ficar mais cara 16,55% a partir do próximo dia 22 de abril. Isso porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem o reajuste tarifário anual da Companhia Energética do Ceará (Coelce). O percentual médio da baixa tensão (incluindo residências e comércios por exemplo) ficou em 17,02%. Para consumidores de alta tensão (indústrias) 16,16%. O percentual médio global ficou em 16,77%.
A Agência esclarece que o reajuste real concedido à Coelce foi de 8,09%, inferior aos 13,83% pleiteados. Contudo, o acréscimo de 8,69% se deu em decorrência dos chamados efeitos financeiros do ano passado. “O IRT (Índice de Reajuste Tarifário) com efeitos financeiros correspondeu ao efeito médio para todos os consumidores de 16,77%”, afirmou a Aneel, por meio de nota. Foram considerados o IGP-M, inflação do setor, dos últimos 12 meses, os custos com compra e transporte de energia e pagamentos de encargos do setor. “A Coelce pode aplicar menos se entende que consegue cobrir suas despesas”, conclui a Agência.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Drauzio Varella realiza palestra durante Experience Day da Fanor | DeVry

Drauzio Varella em palestra aberta no EDay'14
O  convidado desta edição do Experience Day (EDay) 2014 - promovido pela Fanor | DeVry - é o médico cancerologista Drauzio Varella, autor de 11 livros e apresentador de séries sobre saúde no programa “Fantástico”.
O bate-papo com o palestrante é aberto ao público e ocorrerá no dia 14 de abril,  às 19h,  no Centro de Convivência da Fanor | DeVry.  Ele vai falar  sobre qualidade de vida e prevenção de doenças.
Para participar, basta comparecer ao campus Dunas (Av. Santos Dumont, 7800) da instituição de ensino, que sugere, como ingresso, a doação de 1 kg de alimento não perecível que será doado para o Lar Torres de Melo.
Na ocasião, Drauzio também relembrará as experiências vividas na Casa de Detenção do Carandiru, em São Paulo. Em 1989, o médico iniciou um trabalho de pesquisa sobre a prevalência do vírus HIV na população carcerária do presídio. Desse ano, até a desativação da instituição, em setembro de 2002, trabalhou como médico voluntário. Atualmente, Drauzio faz o mesmo trabalho na Penitenciária Feminina de São Paulo.
Atividades do Experience Day - Durante todo o dia, alunos, professores e comunidade são convidados a participarem de atividades gratuitas de diferentes áreas. Dentre as ações, estão programadas oficinas de fotografia, design de moda (dicas de como se vestir e reciclagem de roupas), gastronomia e preparo de mudas; palestras sobre alimentação funcional e dieta Detox; testes psicológicos e simulações de entrevistas de emprego; júri simulado; competições de videogame; aulas de ritmos, artes marciais, ginástica funcional e kangoo jump; desfiles e muito mais. A organização do evento espera receber três mil  pessoas durante todo o dia.
O EDay já recebeu nomes como o consultor de carreiras Max Gehringer, o astronauta Marcos Pontes, os jornalistas Caco Barcellos e Zeca Camargo, os apresentadores Serginho Groisman e Marcelo Tas, o ex-capitão do BOPE e inspirador do Capitão Nascimento do filme Tropa de Elite, Paulo Storani, e, em 2012, o navegador Amyr Klink.
Serviço
Experience Day 2014 – Palestra com Drauzio VarellaData: 14 de abril
Horário: 19 horas
Local: Centro de Convivência da Fanor | DeVry – Campus Dunas (Av. Santos Dumont, 7800)
Mais informações: www.fanor.edu.br

do Blog LAYOUT

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Chuvas causam transtornos em Fortaleza

As fortes chuvas ocorridas nesta manhã de quarta-feira, 9, em Fortaleza causaram alagamentos em diversos pontos. Pelas redes sociais, motoristas reclamam do trânsito que estão enfrentando em diversas vias da cidade. São reclamações de engarrafamentos, alagamentos, colisões e semáforos apagados. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Fortaleza teve a terceira maior precipitação do Ceará nesta madrugada, com 41 mm.
A Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) informou que dois cruzamentos que se encontram alagados estão sendo auxiliados por agentes: Barão de Studart com Antônio Sales; e Heráclito Graça com Ildefonso Albano.
Além disso, dois semáforos estão apagados nos cruzamentos das ruas Pedro Pereira com Barão do Rio Branco e Pedro Pereira com Senador Pompeu. A AMC registrou ainda nesta manhã seis colisões que podem ter sido provocados pela chuva.